×
90 segundos de leitura

Futebol feminino terá a Copa do Mundo mais importante da história

por Vitória Junqueira


Postado em 07 June 2019 as 19:07 Horas



Copa do Mundo de Futebol Feminino começou hoje, 7 de junho e está acontecendo na França. O evento de 2019 se destaca por conta da fase crescente da modalidade e por marcos históricos.

O torneio feminino teve início em 1991 e apenas 12 seleções participaram. Este ano, em sua oitava edição, o nível da competição se elevou e 24 países mostrarão seu potencial, o que possibilitará maiores investimentos das federações nacionais.

A Copa do Mundo Feminina de 2019 já alcançou algumas metas significantes para a história do esporte. É a primeira vez que o time feminino da Jamaica disputará o mundial, graças ao patrocínio oficial da Fundação Bob Marley.

A edição também bateu recorde de venda de ingressos, mais de 700 mil entradas foram comercializadas, de acordo com a Fifa. O árbitro de vídeo (VAR) fará parte do torneio e a premiação financeira aumentou.

No Brasil, outros objetivos também foram atingidos. Pela primeira vez, os jogos da Seleção Brasileira serão transmitidos e comentados por mulheres, na Rede Globo e no SporTV. As atletas brasileiras também conquistaram uniformes feitos exclusivamente para elas.

Seleção Brasileira de Futebol Feminino com o novo uniforme. Foto/Reprodução Instagram CBF

Na história do mundial, apenas duas jogadoras disputaram 6 edições do campeonato, a meio-campista brasileira Formiga e a meia japonesa Homare Sawa. Isso nunca havia acontecido, nem mesmo nas edições masculinas. E este ano, mais um recorde será batido, Formiga jogará pela sétima vez na Copa do Mundo.

Em 2015, Miraildes Maciel Mota (Formiga), foi a atleta mais velha a marcar um gol em uma Copa do Mundo, com 37 anos. Agora, ela será a mais velha a entrar em campo em um Mundial, aos 41 anos de idade.

Além de tudo isso, é a primeira vez que empresas dão atenção para o futebol feminino. O Guaraná Antártica fez uma propaganda com o slogan "Seleção Feminina é coisa nossa", julgando a falta de patrocínio para o time feminino e atraiu outras marcas como Itaú, GOL, Lay’s, Nike, O Boticário e DMCard.

Todas essas metas, tornarão a Copa da França a mais emocionante e o esporte alcançará um grande engajamento.

 

Compartilhe: