×
90 segundos de leitura

Inter: Agora é a hora de Alexis Sánchez se recuperar

por Rodrigo


Postado em 09 September 2019 as 20:08 Horas



A Inter de Milão pode ser a última chance de Alexis Sánchez mostrar o que é capaz de fazer como jogador de futebol. Depois de uma passagem para ser esquecida no Manchester United, aonde marcou cinco gols em uma temporada e meia, o chileno tem a Inter como chance de ouro para recuperar o futebol dos tempos de Barcelona e Arsenal. 

Sánchez chegou ao United para ser o atacante que o então treinador José Mourinho tanto precisava. No entanto, a contratação foi um belo de um fiasco. Foram apenas 45 jogos em uma temporada e meia, sendo cinco gols, três deles em jogos da Premier League. A contratação foi de 34 milhões de euros, mas o retorno foi bem abaixo do esperado para um atacante, que vinha de boas passagens pelo Barça e Arsenal. 

Agora, na Inter de Milão, o chileno terá espaço para jogar no time de Antônio Conte e do lado de Lukaku, que foi seu parceiro de time no Manchester. A pompa é tão grande que Sánchez usará a camisa 7 da Inter, que era de Mauro Icardi nos anos anteriores. Espera-se que a camisa dê sorte para o jogador marcar mais gols. 

Sem arrependimentos de jogar no Manchester

Alexis Sánchez sabe que sua passagem no Manchester United foi nada boa. No entanto, o atacante deixou bem claro que não se arrepende de ter trocado o Arsenal pelo United, em janeiro de 2018. 

"Quando joguei pelo Arsenal, foi fantástico. Fui muito feliz lá. Mas o United estava em crescimento, eles estavam comprando jogadores para ganhar alguma coisa. Eu queria jogar pelo United e ganhar tudo. Não me arrependo desta decisão", salientou.

Apesar de não saber se irá seguir na Inter após o final da atual temporada, Sánchez se mostrou bem pessimista para voltar ao Manchester United, mesmo com o treinador Ole Gunnar Solskjaer dando a entender que o atleta ainda pode ser aproveitado no futuro. 

"Eu acho que sou feliz quando jogo pela minha seleção. Eu fui feliz no Manchester United também, mas sempre digo as meus amigos que quero jogar", discursou.

"Quando eles me deixavam jogar, eu dava meu melhor em campo. Mas, às vezes, eu jogava 60 minutos em um dia e não era nem relacionado para o próximo. E eu nunca entendi o porquê", acrescentou.

Compartilhe: